Afinal, o que faz um Analista de Desenvolvimento de Sistemas?

A escolha da carreira deve ser baseada em informação, afinidades e precisão. A carreira de analista de desenvolvimento de sistemas carrega todas essas características e se identifica com as mais fortes tendências de formação para o mercado de trabalho.

Se você está interessado em cursar uma graduação e seguir uma carreira nessa profissão mas ainda tem dúvidas sobre o que faz esse profissional, chegou a hora de esclarecê-las!

Para isso, vamos explicar, neste post, as suas possibilidades de atuação, perfil, média salarial para iniciantes e para aqueles com alguns anos de estrada. Confira!

O que faz um analista de desenvolvimento de sistemas?

Ele é o profissional responsável por apresentar soluções para a organização. Com formação em Análise de Sistemas, Sistemas da Informação, Ciência da Computação ou Análise e Desenvolvimento de Sistemas, ele pode ser o projetista de um software, infraestrutura de TI, sistemas de e-commerce ou inúmeros projetos de tecnologia.

O analista elabora toda a documentação de um software, levantamento dos requisitos e especificações, de acordo com as necessidades dos clientes. Seus clientes podem ser internos, colaboradores de outras áreas, ou externos, como clientes de empresas desenvolvedoras de sistemas.

Operando como elo entre os processos e o sistema que vai otimizá-los, além do conhecimento técnico, esse construtor de soluções se vale de uma boa dose de criatividade, sugerindo novos caminhos, identificando oportunidades de otimização de recursos e sistemas e propondo mudanças.

Mas é também sua atribuição comunicar aos desenvolvedores as necessidades dos clientes em linguagem tecnológica. Esse é um grande desafio, pois os clientes — internos e externos — nem sempre conseguem se comunicar na linguagem que os desenvolvedores entendem. O analista deve traduzir de maneira acertada e garantir a comunicação eficaz.

Onde ele pode atuar?

Dotado de capacidade para analisar, documentar, projetar, desenvolver e testar sistemas de informação, o analista pode seguir vertentes tão diversas quanto intrigantes. Em cada uma delas, o desafio é diferente, assim como a recompensa e realização.

Os salários variam dependendo do estado de atuação, e também em virtude da função exercida. Segundo o SINE, as médias salariais para o cargo são as listadas abaixo:.

  • Salário inicial: R$ 2.299,23
  • Média salarial (faixa intermediária): R$ 4.670,32
  • Topo da carreira (sem exercer cargo de gestão): R$ 9.486,60

Produção de software

O analista de desenvolvimento de sistemas, atuando na produção de software, é responsável por elaborar a documentação que guiará os profissionais de desenvolvimento, modelagem de banco de dados, interação com outros sistemas e suporte ao usuário.

A documentação deve ser precisa e baseada na visão real do negócio, em todas as suas especificidades e mínimos detalhes.

Nada pode passar despercebido. Para que a arquitetura do software atenda plenamente as suas necessidades, o analista deve compreender e documentar as etapas e todos os detalhes dos processos envolvidos. Para complementar, uma segunda formação em Processos Gerenciais impulsionará a carreira.

A próxima etapa é a orientação aos desenvolvedores para que a documentação seja seguida à risca e eventuais inconsistências sejam imediatamente corrigidas.

Inconformidades que passarem por essa etapa serão detectadas pela fase de testes do sistema.

Nessa fase o analista também é fundamental. Sim, porque os testes devem ser tão rigorosos quanto as exigências do cliente, para que nem uma vírgula — que representa muito em termos de programação — seja esquecida.

Infraestrutura de TI

A infraestrutura de TI envolve os softwares, sistemas de operação e hardwares, que são os computadores, servidores físicos de dados, de internet e todos os equipamentos necessários ao funcionamento da área de TI.

O analista é o profissional com habilidade para visualizar a integração entre sistemas e equipamentos, quais as atividades mais críticas na operação da empresa, que tipo de estrutura cada uma delas precisará para seu bom funcionamento e qual suporte deverá ser disponibilizado aos usuários.

Qualquer pequeno deslize na configuração do parque de máquinas, capacidade dos servidores — internos ou externos — ou das funcionalidades dos sistemas, pode parar a empresa completamente. Mas isso não acontece com um bom profissional de infraestrutura.

Análise de negócios

Acostumado à análise de processos, sistemas e elaboração de documentação para o desenvolvimento, a análise de negócios pode ser considerada um “upgrade” na carreira do analista de sistemas.

Nesse caso, o profissional deve possuir excelente visão de negócios, seja em compras, vendas, pesquisas, comunicação e estudos em geral. Seu trabalho é conhecer profundamente a operação do cliente, para, por meio da criação ou aperfeiçoamento de um sistema, impulsionar esse negócio, alcançando os objetivos desejados pelo cliente.

Nesse processo, chamado de levantamento de requisitos e especificação de casos de uso, a análise busca entender quais os requisitos imprescindíveis para o crescimento dos negócios, enquanto a especificação dos casos de uso alimenta o sistema para que suas funcionalidades sejam ágeis, de fácil utilização e permitam maior volume de negócios em tempo reduzido com menor utilização de recursos.

Administrador de banco de dados

Essa função do analista de desenvolvimento passou por uma enorme evolução, por causa do crescimento do marketing digital e do alto volume de dados trafegados entre empresas e consumidores.

O marketing precisa conhecer o comportamento dos consumidores e detectar eventuais mudanças nesses comportamentos, adequando seus produtos ou serviços de forma a atender e superar as expectativas de seu público-alvo.

O analista não é um mero processador de dados, pois ele aplica inteligência nesse processamento, extraindo informações importantes que mostram mudanças no comportamento dos consumidores e repassando-as ao marketing.

Essas mudanças de comportamento gerarão produtos e serviços mais apropriados ao consumo por parte daquele público-alvo, aumentando as vendas e a satisfação dos consumidores.

É desnecessário dizer que consumidores satisfeitos se tornam fiéis à marca, um dos grandes objetivos do marketing.

A carreira em tecnologia interage com todas as demais, especialmente com as da área de Exatas. Um engenheiro de produção que busca conhecimento em sistemas de informação, poderá agregar sua experiência na produção ao conhecimento tecnológico, otimizando sistemas, processos, reduzindo custos de logística e barateando seu produto final.

Mesmo com a possibilidade de uma segunda graduação, a carreira de analista de sistemas interage perfeitamente, agregando valor e aumentando as chances de melhor colocação e remuneração.

Mas como escolher a melhor faculdade? Comece avaliando a solidez da instituição, há quanto tempo ela está no mercado, que cursos oferece e verifique a qualidade de seus professores.

Flexibilidade é fundamental em sua formação, porque, chegando ao topo, você precisará ser flexível e criativo para se manter lá.

Você é inovador, encontra soluções com facilidade, sabe interagir em equipe e se interessou pela carreira de analista de desenvolvimento de sistemas? Sua carreira passa por aqui! Aproveite e siga-nos nas redes sociais, estamos no Facebook, YouTube, Instagram e LinkedIn!

Deixe um comentário