Teste vocacional: entenda como funciona e se você pode confiar

Ao longo da vida, são vários os momentos em que o ser humano se vê diante da necessidade de fazer escolhas. Comprar um imóvel ou realizar a viagem dos sonhos? Permanecer em um trabalho que oferece estabilidade, mas que você já se acomodou ou buscar novos desafios?

Falando em ambiente de trabalho, uma das primeiras e mais importantes decisões que uma pessoa deve tomar diz respeito à escolha da profissão. E nem todas as pessoas reagem a essa incumbência da mesma maneira.

Para algumas pessoas, a identificação com determinada carreira é tão forte que não há o que pensar. Outras, porém, vivenciam um verdadeiro dilema: o que é mais importante: fazer o que se gosta ou escolher um ofício que proporcione retorno financeiro? E se depois você se arrepender?

Para quem faz parte do segundo grupo, é válido destacar que ter dúvidas é absolutamente natural. Mesmo porque, em condições normais, essa é uma decisão que deve ser tomada quando o adolescente está prestes a completar 18 anos. E, definitivamente, a maturidade não é um dos pontos fortes das pessoas nessa fase da vida.

Por isso, o recomendável é que, antes de efetuar sua inscrição no vestibular você busque elementos que o ajudem a entender quais são as suas reais expectativas para o futuro.

Nessa hora, se submeter a um teste vocacional pode ser bastante útil. Mas o que você conhece sobre essa avaliação? No post de hoje, entenda quando essa estratégia é eficaz e descubra por que é preciso interpretar os resultados corretamente. Boa leitura!

Qual o propósito de um teste vocacional?

Antes de mais nada, é importante esclarecer um dos mais importantes equívocos sobre esse tema. Um teste vocacional não se limita a um questionário disponibilizado online, criado para ajudar o estudante a definir sua profissão. Mas o que, afinal, há de errado nesse conceito?

Na verdade, trata-se de uma avaliação mais complexa, na qual várias técnicas são combinadas: o teste vocacional, na interpretação correta do termo, é uma das etapas de um processo, conduzido por um profissional especializado.

O objetivo é ajudar o participante a conhecer a si mesmo. Em outras palavras, a   intenção é identificar traços da sua personalidade, buscando encontrar um ponto de equilíbrio entre as suas preferências e aptidões e as qualidades desejadas pelo mercado.

Durante essa avaliação, o participante se submete a uma entrevista, além de diversas outras dinâmicas e exercícios. Por essa razão, entre os especialistas, há uma corrente que defende que o termo orientação vocacional é o mais adequado.  

Quem pode aplicá-lo?

Via de regra, o ideal é que a aplicação de um teste vocacional seja conduzida por um psicólogo, um pedagogo ou um psicopedagogo, desde que possuam especialização na área. Esse atendimento pode ser feito de maneira individual, em um consultório, ou coletiva, em escolas e centros de orientação vocacional.

Esse cuidado é necessário porque o profissional é capaz de definir as metodologias mais adequadas, bem como interpretar os dados, sendo capaz de fornecer ao participante um diagnóstico mais preciso.

Isso significa que, a partir das informações coletadas, os orientadores vão sugerir carreiras que sejam compatíveis com o seu perfil e suas áreas de interesse. Há, inclusive, a possibilidade de o profissional apresentar uma profissão que, até aquele momento, você desconhecia. Acredite: a questão não se resume ao dilema entre Humanas ou Exatas.

Qual o nível de confiabilidade do resultado?

Ao receber o resultado de um teste vocacional, é preciso ponderar alguns fatores: o primeiro, sem dúvidas, é o seu grau de sinceridade em relação às questões apresentadas. Se, por um motivo qualquer, você deixou a honestidade em segundo plano, as sugestões poderão não corresponder com a realidade.

Há de se considerar também o fato de que esse recurso possui limitações, especialmente quando aplicado de maneira isolada. Em outras palavras, reforça-se a recomendação para que o estudante procure um serviço de orientação vocacional, o que pode ser feito já a partir do 2º ano do Ensino Médio.

Ademais, vale a ressalva de que o teste vocacional não pode ser definido como uma ferramenta conclusiva, mesmo porque, nossas preferências, aptidões e habilidades se transformam ao longo da vida. Portanto, é natural que seus interesses profissionais também mudem.

O que fazer depois de receber o resultado do teste vocacional?

Depois de ter acesso aos resultados do teste vocacional, você não vê a hora de efetuar a sua matrícula na faculdade mais próxima? Embora a sua ansiedade seja absolutamente compreensível, na prática, nós recomendamos um pouco mais de cautela.

Essa atitude é aconselhável por alguns motivos: primeiro que dificilmente a avaliação sugerirá uma única carreira. Ela apontará algumas atividades em que você tem mais chances de se destacar, confrontando suas características comportamentais com os requisitos desejáveis em um bom profissional.

Assim sendo, o ideal é que o teste vocacional não represente o fim da sua jornada, mais o meio dela. Mas o que fazer então? É o que vamos explicar no próximo capítulo!

Se o resultado do teste vocacional não é conclusivo, como resolver esse impasse?

Se o teste vocacional não é capaz de fornecer uma resposta exata, a melhor solução é que você explore e conheça bem os caminhos possíveis antes de percorrê-los.

Nesse sentido, busque informações sobre os ofícios que despertam o seu interesse. Participe de palestras e seminários e frequente as chamadas feiras de profissões, no qual trabalhadores de diferentes áreas são convidados a compartilhar suas experiências com os visitantes.

Também é válido agendar uma visita ao seu futuro ambiente de trabalho. Quem deseja ser jornalista, pode conhecer a redação de um jornal ou de uma emissora de TV, por exemplo. Aspirantes a médico, por sua vez, podem verificar se o hospital da cidade permite visitas monitoradas.  

Se você tem algum familiar exercendo a mesma profissão, esse contato ficará ainda mais fácil. Peça conselhos a todas as pessoas com as quais se sentir à vontade, mas não tome nenhuma decisão apenas para agradar alguém, ou você pode se arrepender.

Agora que você já compreendeu a real utilidade de um teste vocacional, entenda como funciona o processo seletivo para quem decide fazer um curso a distância!

Deixe um comentário