5 motivos para voltar a estudar que você não pode ignorar

Há quem acredite que o maior tesouro que uma pessoa pode acumular ao longo da vida não é nenhum bem material, mas sim o conhecimento. Afinal de contas, a vida é um processo de aprendizagem contínuo, que, ao contrário do que alguns pensam, nunca tem fim.

Se você compartilha dessa opinião, certamente reconhece a necessidade de voltar a estudar. Por outro lado, algumas pessoas tendem a se amedrontar, imaginando as consequências dessa decisão.

O post de hoje tem o objetivo de encorajar a todos para que sigam em frente nessa jornada. A ideia é oferecer motivações que inspirem os leitores a transformar em realidade o plano de voltar à sala de aula. Boa leitura!

1. Ampliar suas chances na disputa por um emprego

Logo de início, nós vamos listar uma razão bastante convincente para você voltar a estudar o quanto antes: o mercado de trabalho. Para quem está em busca de uma (re)colocação profissional, o nível de escolaridade faz toda diferença.

Em outras palavras, isso quer dizer que, para se adequar aos novos padrões de qualidade, as empresas estão mais exigentes na hora de contratar os candidatos. Mais rigorosos, os processos seletivos valorizam que já possui um conhecimento teórico e prático da função que vai exercer.

E essa bagagem é adquirida também em uma universidade, que possibilita ao estudante a simulação de situações que se tornarão comuns em seu cotidiano. Aliás, ousa-se dizer que já há algum tempo, um diploma de graduação deixou de ser um diferencial para se tornar um requisito básico.

Essa mudança se baseia no fato de que a qualificação do trabalhador transformou-se em uma importante vantagem competitiva para a organização, tendo em vista que, para fidelizar um cliente, é necessário aperfeiçoar os processos, reduzindo a margem de erro para próxima de zero.

E atingir um objetivo tão audacioso depende muito da sabedoria e experiência do responsável pela fabricação de um produto ou execução de um serviço. Todas essas habilidades podem ser aprimoradas em sala de aula.

2. Consolidar a sua ascensão profissional

Não apenas quem está em busca de uma vaga deve voltar a estudar. Para quem já está empregado, o retorno à sala de aula ajuda a consolidar um projeto de ascensão profissional.

Qualquer que seja a área de atuação, todo aquele que deseja melhores oportunidades deve fazer jus a elas e manter-se sempre atualizado. É muito importante que o profissional acompanhe as tendências do seu segmento, bem como a aplicabilidade prática dos recursos tecnológicos em seu cotidiano.

Além do mais, pesquisas sinalizam que a remuneração é proporcional ao nível de escolaridade: quanto mais uma pessoa se especializa em sua atividade, melhor ela recebe. A estimativa é que o aumento de salário gire em torno de 22%. Se você finalmente decidiu colocar em prática o plano de voltar a estudar, fica até mais fácil pedir um aumento.

Destaca-se ainda que o retorno à sala de aula também é uma demonstração prática de que o funcionário está comprometido com os objetivos da organização e não economiza esforços para aperfeiçoar seu desempenho. Para os seus gestores, esse é um indício irreversível de que vale a pena apostar em você.

3. Desenvolver novos olhares sobre o mundo

Tão importante quanto os benefícios profissionais que essa atitude possa agregar, é a experiência pessoal que o aluno vivencia ao longo de uma faculdade. Sem exagero algum, esse é um período no qual você se transforma.

Muito além do conhecimento técnico, a passagem pelo ensino superior instiga o estudante a desenvolver novos olhares sobre o mundo. Em outras palavras, o aluno é estimulado o tempo todo a desligar o piloto automático e buscar soluções inovadoras para cada situação apresentada.

Essa é uma ideia que pode até parecer assustadora no início, mas a verdade é que, a cada desafio superado, você se sentirá mais confiante. Com isso, passará a buscar por conta própria novas motivações para aperfeiçoar suas competências e habilidades. Ou seja, estará em constante aprendizado.

4. Conhecer novas pessoas e se relacionar com elas

É válido ressaltar outro legado muito importante da experiência universitária: no decorrer das atividades acadêmicas, você não aprende apenas o conhecimento técnico necessário para o exercício de sua profissão.

No decorrer do curso, você estabelece uma relação com várias pessoas, sejam elas colegas de turma, professores e equipe administrativa. Você terá uma afinidade imediata com muitas delas, mas nem todas serão o seu reflexo.

Manter um vínculo com pessoas absolutamente diferentes de você também é uma experiência enriquecedora. Em primeiro lugar, porque essa é uma chance única para que você reflita sobre os seus valores e ideais, podendo reorganizar suas prioridades.

O surgimento de divergências, em determinado momento, é inevitável. Mas espera-se que os envolvidos resolvam os conflitos de maneira pacífica. Para isso, todos devem exercitar sua capacidade de tolerância, respeitando modos de viver que em nada se assemelham ao seu.

Ainda no quesito relacionamento, procure demonstrar a todos os seus talentos, não com o intuito de estabelecer uma competição, mas reconhecendo o fato de que é muito importante construir uma rede de contatos. As pessoas que compõem o ambiente universitário poderão indicá-lo para uma oportunidade se tiverem certeza de que você é capaz de corresponder às expectativas.

5. Usufruir das facilidades para quem quer voltar a estudar

Perto do fim, nós destacamos que até mesmo a falta de tempo — uma das principais justificativas para adiar os planos de voltar a estudar — já deixou de ser verdadeiramente um obstáculo. Não que os vários compromissos de todos nós tenham diminuído: o que se transformou foi a maneira de ensinar.

Nesse contexto, convém ressaltar a educação a distância (EAD) como uma alternativa bastante interessante e em ascensão: recentes pesquisas apontam que, em 2026, o número de alunos matriculados em cursos EAD será maior do que no formato presencial.

De acordo com projeções da consultoria Educa Insights, até lá essa modalidade responderá por uma fatia de 51% das matrículas em instituições privadas de ensino superior. E, de fato, vários fatores contribuem para esse momento favorável.

O primeiro deles é que o ensino a distância é extremamente democrático, capaz de atender as mais diferentes motivações: não importa se você vive longe de um grande centro urbano ou é um executivo que viaja com frequência e não consegue frequentar uma sala de aula convencional.

Antes de encerrarmos, porém, convém desfazer o principal mito que cerca a educação a distância: concluir o curso requer o mesmo comprometimento. Independentemente se o programa é online ou semipresencial, o aluno tem as mesmas obrigações de quem frequenta uma graduação convencional, incluindo provas e outras atividades para avaliar o desempenho.

O grande diferencial, na verdade, é a flexibilidade oferecida ao estudante. Isso significa que você poderá acessar os conteúdos de onde e no momento em que quiser, estruturando a sua rotina de estudos da maneira que lhe for mais conveniente.

Agora que você já conhece melhor as características do ensino a distância, descubra se existe alguma diferença no que diz respeito a emissão do diploma. De todo modo, nós esperamos que você tenha se entusiasmado e finalmente coloque em prática o plano de voltar a estudar!

 

Deixe um comentário